Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 555-556 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 555-556 (November 2020)
936
Open Access
RESIDENTES EM TEMPOS DE PANDEMIA – O DESAFIO DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL
Visits
...
K.S. Alves, M.T. Xavier, P.T. Jesus, T.D. Santos, I.A.C. Cabral
Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (HEMORIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Este trabalho trata do processo de aprendizado das residentes inseridas no Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti – HEMORIO. O curso de especialização em pós-graduação lato-sensu em hematologia e hemoterapia se constrói na modalidade de treinamento em serviço. Nesse sentido, os residentes se alternam entre as duas áreas do saber: hematologia e hemoterapia. Na hemoterapia, a inserção das residentes de serviço social que ocorre na promoção à doação de sangue, se justifica pela necessidade de um profissional com formação teórico-técnica que seja capaz de desenvolver ações reflexivas, socioeducativas, com vistas à socialização de informações e orientações sobre os direitos. São práticas fundamentais para o setor, visto que desmistificam mitos sobre a doação de sangue buscando o aumento de doadores fidelizados, a melhora qualitativa do sangue e a garantia de direitos do doador e receptor. No HEMORIO, as principais práticas educativas são desenvolvidas através do programa Jovem Salva Vidas, Caravana Solidária e Hemotur. A Pandemia do Covid-19 vem provocando muitas incertezas. Foram criadas medidas de prevenção ao contágio do vírus, como o isolamento social, conforme orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Isto impactou o serviço, trazendo reestruturações em todos os setores, como: adiamento de férias, afastamentos dos profissionais em grupos de risco, suspensão das atividades coletivas, entre outras mudanças, resultando na sobrecarga no cotidiano de trabalho dos profissionais que permanecem atuando na linha de frente. Nos espaços sócio-ocupacionais dos assistentes sociais, especificamente na área da saúde, alterações na atuação foram indicadas por nossos órgãos representativos, conforme nota do Conselho Federal de Serviço Social na qual se afirma “Nossas condições de trabalho e de saúde significam proteção também para cada usuário/a do Serviço Social.” Essas entidades se embasaram em critérios sanitários para garantir a proteção aos profissionais e aos usuários, mas estas afetam a qualidade desta relação, visto que o atendimento presencial propicia uma melhor apreensão das reais demandas dos usuários, que por vezes encontram-se desapropriadas de seu caráter coletivo. Diante desse quadro, a inserção no programa de residência é afetada, pois nesse momento atípico, o processo de aprendizado vem sofrendo modificações no cotidiano profissional, principalmente nas abordagens de captação de doadores de sangue. As atividades supracitadas no momento estão suspensas devido à necessidade de evitar aglomerações. Priorizamos não convocar idosos, que são do grupo de risco, para realizarem esse ato de solidariedade e cidadania, considerando como critério o Estatuto do Idoso (Lei 10.741). Neste cenário, para diminuir a perda de quantitativo de doação sangue, o HEMORIO tem mobilizado campanhas internas e externas, com parcerias e divulgação nas mídias sociais. Portanto, é inquestionável que a dimensão socioeducativa da profissão sofre atravessamentos devido às medidas de isolamento social, que impedem a realização das exposições dialogadas, estratégia importante para a democratização de conhecimento. Enquanto aprendizado caro a profissão, vivenciamos a nossa atuação se dando em condições objetivas, não ideais, o que nos exige aprimorar a competência de sermos críticos e propositivos diante da realidade e reafirmar nosso compromisso com a população usuária.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools