Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 131-132 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 131-132 (November 2020)
220
Open Access
RELATO DE CASO: DOENÇA MIELOPROLIFERATIVA CRÔNICA ASSOCIADA A FEBRE PERSISTENTE
Visits
...
E.A.S. Carvalhoa, M.B. Nunesa, E.D.C. Vianab, P.N.R.J. Fariaa, J.M.T.P.D. Nascimentoa
a Hospital Luxemburgo, Instituto Mario Penna, Belo Horizonte, MG, Brasil
b Hospital das Clínicas, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Trata-se de EAF, 40 anos, sexo masculino, natural de Alagoas, garimpeiro, sem comorbidades conhecidas ou uso de medicações. Em dezembro de 2019 iniciou com hiporexia, perda ponderal, febre diária e hepatoesplenomegalia, com piora progressiva. Encaminhada para serviço de hematologia devido leucocitose importante com desvio escalonado, plaquetose (1.200.000) e anemia, com primeira consulta realizada em abril/2020. Devido piora importante do quadro consuptivo, febre diária e piora da dispnéia basal, paciente foi encaminhado para internação. Restante da propedêutica complementar revelou elevação das enzimas canaliculares, bilirrubina total de 3 às custas de bilirrubina direta, hiperferritinemia, IST 30%, soroogias para HBC, HCV, HIV, HTLV e VDRL negativas, mielograma (G/E 14:1; com série granulocítica hipergranular, série megacariocítica displásica, compatível com doença mieloproliferativa), cariótipo coletado com problemas na amostra, tendo que ser coletado novamente. O paciente foi piorando o padrão ventilatório e o estado geral progressivamente, a ponto de ficar restrito ao leito, mantendo vários picos de febre alta diário, com hemoculturas persistentemente negativas, iniciado tratamento antimicrobiano empirico. Devido à pandemia e piora ventilatória foi aventada hipótese de COVID-19, sendo então isolado, TC de tórax com derrame pleural moderado à direita, espessamento de septos interlobulares difusamente, vidro fosco difuso, coletado swab de nasofaringe para SARS-COV-2, com resultado negativo. Hemocultura de 24/06/2020 revelou S.aureus sensível a oxacilina, sendo então direcionado tratamento e realizado ecocardiograma com suspeita de endocardite, que veio sem alterações. Paciente então revelou que há aproximadamente 2 meses passou semana pescando em mata com o irmão, que após evento teve quadro de icterícia febril e foi diagnosticado com febre maculosa. Devido ao relato, e sem diagnóstico, foram coletadas sorologias para febre hemorrágica e programada videotoracoscopia a fim de biópsia pleural e estudo do derrame, associado levofloxacino 750 mg. Na semana seguinte, entretanto, saiu resultado do Cariótipo: 46, XY t(9:22) [20], iniciado imatinib 400 mg, sendo cancelado o procedimento. Desde a introdução do imatinib paciente melhorou estado geral, não recorreu com febre, porem persistia com quadro respiratorio. Foi optado então por toracocentese de alívio, realizado ADA, BAAR, cultura os quais foram negativos. Após toracocentese padrão ventilatório melhorou substancialmente, paciente sem necessidade de oxigenioterapia suplementar, já com resposta hematológica após 14 dias de imatinib, hemoculturas negativas, sendo então suspensos antibióticos 14 dias após primeira cultura negativa. Evoluiu com massa cervical inferior direita de 4cm, inexistente anteriormente. Solicitado biópsia excisional da lesão, a qual consistia em conglomerados linfonodais aumentados. Análise laboratorial com BAAR positivo 3+/4+, aguarda cultura e estudo histopatológico. Comunicado suspeita para infectologia que iniciará tratamento para micobacteriose após identificação, equipe de hematologia orientada a aumentar dose de imatinib em 50% devido a possibilidade de redução de ação devido a interação medicamentosa com rifampicina.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools