Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 84 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 84 (November 2020)
141
DOI: 10.1016/j.htct.2020.10.142
Open Access
PÚRPURA TROMBOCITOPÊNICA IMUNE SECUNDÁRIA À INFECÇÃO POR CORONAVÍRUS SARS-COV2: RELATO DE CASO
Visits
...
A.Q.A. Rocha
Universidade Federal de Jataí (UFJ), Jataí, GO, Brasil
Article information
Full Text

A Púrpura Trombocitopênica Imune é um distúrbio da hemostasia caracterizado por plaquetopenia cujas causas podem ser primárias ou secundárias; seu diagnóstico é realizado por exclusão. Relatamos o caso de uma paciente de 53 anos, casada, pedagoga, encaminhada para avaliação hematológica de quadro de plaquetopenia. A paciente iniciou sintomas de cefaleia, odinofagia e tosse seca em julho de 2020 e recebeu o diagnóstico de infecção pelo coronavírus SARS-CoV2 por meio de swab de orofaringe (RT-PCR); nesta data, realizou exames gerais que incuía um hemograma normal. Evoluiu com diarreia, astenia, sudorese e náuseas. Após 14 dias, já recuperada clinicamente, a paciente notou o surgimento súbito de petéquias difusas por todo o corpo e equimoses em membros, hematomas orais e vaginais. Um novo hemograma realizado evidenciou Hb 13,1g/dL, leucócitos 5.880/μL e contagem de plaquetas 10 mil/μL. Foi solicitada sorologia para dengue, negativa. A contagem de plaquetas foi confirmada em lâmina e em tubo com citrato. Na história clínica, apresentava antecedentes de gastrite prévia tratada e diabetes melito compensado em tratamento; paciente negava febre, perda ponderal ou adenomegalias. Ao exame físico, foram observadas petéquias difusas por todo o corpo, equimoses em membros inferiores e hematomas orais; ausência de visceromegalias ou adenomegalias; peso de 87kg. A visualização do esfregaço de sangue periférico não demonstrou alterações morfológicas das séries vermelha e branca; plaquetas muito reduzidas. Foram solicitados exames para investigação que se apresentaram normais para avaliação de função hepática, renal, tireoidiana, provas de atividade reumatológica negativas, eletroforese de proteínas normal, sorologias negativas para HIV, hepatites B, C e sífilis. Assim, optou-se pelo início de tratamento imunossupressor com prednisona na dose de 1mg/Kg ao dia, com normalização dos níveis plaquetários após 10 dias. Dessa forma, os achados permitem o diagnóstico de Púrpura Trombocitopênica Imune secundária à infecção pelo coronavírus SARS-CoV2, com remissão após o início do tratamento.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools