Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 369 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 369 (November 2020)
618
Open Access
PREVALÊNCIA DO VÍRUS DA DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA EM DOADORES DE SANGUE NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
Visits
...
L.N. Lopesa, P.M. Jordãoa, M.S.M. Limaa, A.N.D. Santosa, N.C. Almeidaa, A.S.M. Corrêaa, M.P. Kourya, R.B.H. Castroa, R.R. Burbanob, L.M. Lamarãoa
a Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (HEMOPA), Belém, PA, Brasil
b Hospital Ophir Loyola, Belém, PA, Brasil
Article information
Full Text

Este projeto de pesquisa teve como objetivo principal identificar a prevalência de infecção pelo vírus da Dengue (DENV), ZIKA (ZIKAV) e Chikungunya (CHIKV) em doadores de sangue em períodos epidêmicos e não epidêmicosna região metropolitana de Belém (Belém e Ananindeua). Para isso o projeto investigou doadores de sangue aptos durante o período de dois anos (06/2018-06/2020) atendidos na Fundação Hemopa. A metodologia adotada foi a realização de reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR), precedida de uma reação de transcrição reversa, a partir de mistura (pool) de 4 materiais genéticos de doadores extraídos individualmente pela metodologia de extração de material genético implantada do Laboratório de teste de ácido nucléico (NAT) do Hemocentro. Duas reações foram realizadas, uma para detecção dos quatros sorotipos do DENV e outra para detecção simultânea do ZIKAV e CHIKV, ambas utilizando iniciadores e sondas descritas na literatura e controles positivos e negativos. Dentre os 22.291 doadores analisados para os três agentes, foram observados 1 (um) doador detectável para DENV e 1 (um) para o CHIKV. O CHIKV foi encontrado em 2018 (período epidêmico) e teve prevalência anual de 0,02% (1/6.121), e o DENV foi encontrado em 2019 (período não-epidêmico) com prevalência anual estimada de 0,01% (1/10.216). Ambas as prevalências anuais se equiparam as encontradas em doadores pelo laboratório NAT para o vírus da Hepatite C (0,01%) e para o vírus da Hepatite B (0,02%) na região de estudo, a partir de dados estatísticos observados na série histórica da Fundação Hemopa. Ambos doadores positivos para DENV e CHIKV foram classificados como levemente sintomáticos após a doação, de acordo com informações obtidas pelos pesquisadores do estudo. A avaliação do risco de transmissão e da gravidade não pôde ser conclusiva, haja vista que conforme contato dos pesquisadores com o serviço de Hemovigilância e serviços de transfusão, os hemocomponentes cujo DENV foi detectável não foi transfundido, e um único receptor do hemocomponente (concentrado de plaquetas) cujo CHIKV foi detectável na pesquisa, evoluiu a óbito antes do contato dos pesquisadores. As amostras DENV e CHIKV positivas foram simuladas em diferentes quantitativos de pool de plasma, sendo ambas detectadas, pela metodologia da pesquisa, até o quantitativo de 14 amostras em pool. Os Hemocentros realizam triagem clínica-epidemiológica para detecção de possíveis infecções não triadas laboratorialmente, bem como orientam os doadores a notificarem qualquer sintoma observado pós-doação. A triagem laboratorial para DENV, ZIKV E CHIKV não é obrigatória pela legislação vigente, contudo ressaltamos a importância de ser considerada a inclusão para o DENV, por ser o Brasil um país endêmico para o vírus e para seu vetor, e, portanto, surtos poderão ocorrer a qualquer momento. Não obstante, a literatura mundial comprova a transmissão transfusional deste agente bem como o agravamento para as formas mais graves da doença em alguns receptores. Sugerimos ainda, manter um monitoramento contínuo de pesquisas para o ZIKAV e para o CHIKV.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools