Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 357-358 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 357-358 (November 2020)
598
DOI: 10.1016/j.htct.2020.10.600
Open Access
FREQUÊNCIA DE DOADORES DE SANGUE INAPTOS POR SOROLOGIA POSITIVA PARA HBV, HCV OU HIV EM UM HEMOCENTRO DE SÃO PAULO
Visits
...
J.G. Souzaa, A. Kaliniczenkoa, M.C.P. Figueiredoa, J.O. Martinsa,b
a Universidade Paulista, São Paulo, SP, Brasil
b Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A transfusão sanguínea é uma técnica importante na medicina moderna e salva milhares de vidas todos os anos. Entretanto, é uma atividade de grande risco epidemiológico, uma vez que, por se tratar de um tecido vivo, o sangue pode transmitir diversas doenças como HIV, HBV, HCV, Malária, Sífilis e doença de Chagas. Com o objetivo de reduzir os riscos de infecções durante a transfusão sanguínea nos hemocentros, são realizadas triagens clínica e sorológica para avaliar o estado de saúde do doador de sangue. Objetivo: Avaliar a frequência de doadores de sangue aptos na triagem clínica e inaptos na análise sorológica para HIV, HBV e HCV no hemocentro da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Materiais e métodos: Foi realizado um estudo retrospectivo, onde foram analisados os prontuários de 10.000 doadores de sangue que se dirigiram ao hemocentro da UNIFESP no período de 1 de janeiro a 6 junho de 2019. Após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da UNIFESP (parecer número 3.584.210), foram incluídos no estudo qualquer pessoa acima de 18 anos que tenha se candidatado à doação de sangue e tenha sido considerado apto no momento da triagem clínica, mas inapto na triagem sorológica para as doenças analisadas. Resultados: Durante o período estudado foram analisados 10.000 candidatos a doação de sangue. Resultado sorológico positivo para as doenças analisadas (HCV, HBV e HIV) foi encontrado em 97/10000 (0,97%) indivíduos, com maior frequência em doadores de sangue do sexo masculino entre 38 e 47 anos de idade. Infecção por HBV foi a mais frequente, presente em 63 (0,6%) indivíduos, posteriormente o HCV atingiu 25 (0,3%) indivíduos e por último o HIV foi positivo em 9 (0,1%) candidatos a doação de sangue. Conclusão: A infecção por HBV em doadores de sangue se mostrou mais frequente quando comparamos com HIV e HCV. Os resultados das frequências obtidos neste estudo estão de acordo com a literatura disponível, demonstrando a eficácia da triagem sorológica na detecção e prevenção da transmissão destas doenças infecciosas por meio da transfusão sanguínea.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools