Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 86-87 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 86-87 (November 2020)
145
DOI: 10.1016/j.htct.2020.10.146
Open Access
RELATO DE CASO: PÚRPURA TROMBOCITOPÊNICA TROMBÓTICA SECUNDÁRIA A DENGUE
Visits
...
I.M. Araújoa, C.M.T. Silvaa, E.M.M. Costab
a Faculdade Ages de Medicina, Jacobina, BA, Brasil
b Clínica Amo - Assistência Multidisciplinar em Oncologia Feira de Santana, Feira de Santana, BA, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A Púrpura Trombocitopênica Trombótica (PTT), é uma doença rara que atinge cerca de 5-10 casos/1.000.000/ano, afeta ambos os sexos, incidência 2-3 vezes maior em mulheres de 30-40 anos de idade. Destaca-se por trombocitopenia, anemia hemolítica microangiopática e presença de esquizócitos. A PTT pode apresentar-se secundária à infecção do vírus da dengue, arbovirose caracterizada por febre alta e exantema. Objetivo: Relato de caso de uma apresentação atípica de PTT secundária a dengue, elucidando a importância do diagnóstico de um caso atípico e a necessidade de diagnóstico diferencial e tratamento precoce. Métodos: Paciente, feminino, 41 anos, branca natural e procedente de Feira de Santana- Ba. Admitida em fevereiro de 2020 no Hospital Unimed. Apresentava febre, astenia, metrorragia e petéquias difusas com 2 dias de evolução. Exame físico: afebril, hipocorada 2+/4+, hematomas difusos e petéquias em membros superiores e inferiores e confusão mental. Hemograma admissional: hemoglobina 5,9g/dL, leucocitose 19.950/mm3, plaquetopenia 8.000/mm3. Bilirrubina total 3mg/dL, bilirrubina indireta 2,5mg/dL. Desidrogenase Lática (LDH) 1.500 UI/L; função renal normal, IGM positivo para Dengue. Esquizócitos em lâmina de sangue periférico. Diagnóstico clínico e laboratorial de PTT, sendo prescrito a plasmaférese. A paciente rebaixou nível de consciência apresentou crise convulsiva e foi submetida a intubação orotraqueal e ventilação mecânica. Foi iniciado 2mg/kg de prednisona, transfusão de plasma fresco congelado 1 unidade 6/6h e de dois concentrados de hemácias até o início da plasmaférese pois a unidade de origem não tinha a mesma disponível. Paciente foi transferida para UTI do Hospital da Bahia em Salvador, iniciado plasmaférese com melhora clínica e laboratorial progressiva. Após 21 sessões ouve piora do quadro com aumento da LDH, iniciou-se Rituximab 375mg/m2 1x/semana - 4 semanas e totalizou 27 sessões. Paciente segue com exames normais. Resultados: A PTT ocorre por microtrombos ricos em plaquetas e fator de von Willebrand (FVW) na microvasculatura, ocluindo-as, por deficiência da ADAMTS13, enzima clivadora do FVW, que implica em isquemia tecidual. A PTT secundária decorre na maioria dos casos de infecções, medicamentos e doenças malignas. Embora a incidência de PTT na infecção viral para dengue seja desconhecida, a paciente em questão atesta positivo para dengue, apresentação rara da doença. No tratamento com plasmaférese, ocorre a substituição de plaquetas e enzimas ADAMTS13 por frações citoplasmáticas eficientes, reduzindo a gênese de trombos. A corticoterapia reduz linfócitos B, produtores de anti-ADAMTS13. Casos agudos graves ou refratários, o uso de Rituximab é eficiente. Indicado neste caso devido a dificuldade de desmame da plasmaférese. Conclusão: O diagnóstico dessa patologia rara é fundamental para escolha do esquema terapêutico adequado. A análise do caso, permite relatar a dificuldade no diagnóstico da PTT secundária a um quadro raro para esta patologia.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools