Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 71-72 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 71-72 (November 2020)
118
DOI: 10.1016/j.htct.2020.10.119
Open Access
INTEGRAÇÃO ENTRE OS CENTROS DE TRATAMENTO DE HEMOFILIA E PACIENTES COMO FORMA DE AUMENTAR A ADESÃO AO TRATAMENTO
Visits
...
R. Pereiraa, T. Furlania, M.L.G. Corvalhoa, G.G. Panetob, F.P. Caretaa,b
a Associação dos Hemofílicos do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil
b Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, ES, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A importância da profilaxia, da autoinfusão, o desenvolvimento da artropatia, o mecanismo de ações dos novos medicamentos e a importância do tratamento da hepatite C não são bem compreendidos por muitas pessoas com hemofilia. Além disso, muitos profissionais que atuam na área não estão atualizados ou carecem das condições ideais de trabalho. Realizar eventos que criam proximidade entre os pacientes, possibilitando conversas abertas sobre assuntos difíceis, é forma forma de intervenção que pode ser produtiva. Além disso, os encontros com profissionais de saúde que atendem a comunidade com coagulopatias também permitem compreender as dificuldades enfrentadas por essas pessoas em seu ambiente de trabalho. Objetivos: Este projeto tem como objetivo fazer um levantamento da situação de trabalho dos profissionais localizados em cinco Centros de Tratamento de Hemofilia (CTH), bem como levantar a situação do tratamento da população atendida nesses serviços e seu nível de conhecimento sobre temas importantes nas coagulopatias. Métodos: Membros da diretoria da Associação de Hemofilia do Espírito Santo visitaram duas vezes cada um dos cinco centros de tratamento localizados no estado do Espírito Santo. Foram realizados encontros com profissionais de saúde e pessoas com coagulopatias onde foram apresentadas palestras com os seguintes temas: importância da profilaxia, da autoinfusão, o desenvolvimento da artropatia, o mecanismo de ações dos novos medicamentos e a importância do tratamento da hepatite C. Antes e após as palestras, os participantes preenchiam um formulário onde deveriam elencar notas de 0 a 5 sobre o graus de conhecimento em cada um dos assuntos tratados nas palestras. Resultados: Durante as conversas com os profissionais que atuam nos HTC's, foi constatada a necessidade de se aumentar o número de pessoas que atuam na equipe multiprofissional. Também foi relatado que uma grande proporção de pessoas com hemofilia não está aderindo à profilaxia e muitas delas não comparecem às consultas de rotina. Muitos pacientes relataram dificuldade em obter atendimento nos finais de semana. Muitos pacientes e profissionais de saúde não sabiam sobre as novas opções de tratamento para hemofilia, o estado atual do diagnóstico de hepatite C ou os benefícios de realizar o tratamento correto. Sobre o preenchimento dos formulários de avaliação das palestras e o nível de conhecimento nos assuntos tratados, tivemos a seguinte situação para cada um dos temas: A importância da Profilaxia a nota aumentou de 1 para 4. Sobre Artropatia Hemofílica, a nota aumentou de 1 para 3,5. Sobre a autoinfusão, a nota aumentou de 1 para 5. Sobre os novos tratamento, a nota aumento de 1 para 2,5. Sobre a Hepatite C, a nota aumentou de 1 para 4,5. Conclusões: Os HTC's do interior do estado possuem equipe multriprofissional menor do que na Capital e os profissionais também possuem piores condições de trabalho. A falta de compreensão dos pacientes e a distância entre sua residência e o HTC diminuíram suas chances de aderir adequadamente ao tratamento. As palestras ministradas durantes os encontros aumentaram o grau de compreensão de todos os temas tratados.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools