Journal Information
Vol. 42. Issue S2.
Pages 250-251 (November 2020)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 42. Issue S2.
Pages 250-251 (November 2020)
418
DOI: 10.1016/j.htct.2020.10.420
Open Access
ANÁLISE DA REDUÇÃO DE DOSE EM PACIENTES EM TRATAMENTO COM LENALIDOMIDA PARA TRATAMENTO DE MIELOMA MÚLTIPLO
Visits
...
C. Moneró, R. Cunha, P.N. Silva
Grupo Oncoclínicas, Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Devido à heterogeneidade das alterações genético-moleculares envolvidas na sua fisiopatologia, o mieloma múltiplo (MM) é uma doença extremamente variável do ponto de vista de apresentação clínica e evolução, sendo a sobrevida mediana dos pacientes de aproximadamente três anos a partir do diagnóstico. Em pacientes com doença em remissão após um transplante de medula óssea ou do tratamento inicial, a lenalidomida pode ser administrada como tratamento de manutenção para prolongar a remissão. Objetivo: O objetivo deste trabalho consistiu na avaliação das reduções de dose devido as reações adversas apresentadas por pacientes com Mieloma Múltiplo em tratamento com lenalidomida. Método: Foi realizada análise retrospectiva em prontuários em uma clínica oncológica privada, no período de janeiro de 2019 a julho de 2020. Nesta análise, foram avaliados 37 pacientes de 66 a 80 anos, sendo 23 homens e 14 mulheres, de 1ª a 8ª linha de tratamento, elegíveis para tratamento com lenalidomida. As indicações avaliadas foram MM pós transplante autólogo de células-tronco (5 pacientes), MM refratário/recidivado (24 pacientes), MM recém diagnosticado NÃO elegível à transplante (6 pacientes), MM refratário/recidivado (MM IgG Lambda) (1 paciente) e MM manutenção (1 paciente). Resultados: No estudo foi evidenciado que 57% dos casos analisados foi necessária a redução de dose devido as reações adversas ao medicamento (RAMs). As RAMs foram divididas em: astenia (23%), reações cutâneas (8%), mielotoxicidade (53%) e toxicidade gastrointestinal (8%) e outros (8%). Em 6% dos casos, pacientes com menos de 65 anos, 38% em pacientes acima de 75 anos e 56% em pacientes de 65 a 75 anos. Conclusão: As reduções de dose apresentadas no trabalho foram majoritariamente a mielotoxicidade e astenia, em pacientes de 65 a 75 anos, e nesses casos o tratamento foi temporariamente interrompido ou suspenso, conforme necessário, para controle da toxicidade.

Idiomas
Hematology, Transfusion and Cell Therapy

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools